Fluídos & Óleos

•• TROCA DE ÓLEO DO MOTOR
• QUANDO TROCAR O ÓLEO AUTOMOTIVO?
O período de troca do óleo do motor varia de acordo com o veículo e suas condições de uso. Na capital paulista, por exemplo, o trânsito é um fator bastante particular que pode influenciar nesse prazo. O anda e para aumenta a temperatura do óleo o que culmina na perda precoce de sua viscosidade. Faça a coisa certa: consulte sempre o manual do seu veículo para ficar em dia com suas manutenções.

• O QUE ACONTECE SE PASSAR O PRAZO DE TROCA DE ÓLEO?
Adiar a troca do óleo automotivo pode colocar em risco o seu motor. Isto porque com o tempo, seja pela oxidação natural, seja pelo uso do veículo, o óleo perde sua viscosidade original necessária para lubrificação das peças internas. A ausência de circulação de óleo limpo no motor provoca o desgaste precoce do veículo com riscos de travamento por formação de borra, em casos mais graves.

• QUAL A DIFERENÇA ENTRE ÓLEO MINERAL, SINTÉTICO E SEMISSINTÉTICO?
Existem três tipos de óleo lubrificante: mineral, sintético e semissintético. A diferença entre eles se dá por sua composição. Os óleos básicos minerais são formados a partir do processamento de componentes do petróleo sendo formado, basicamente, de hidrocarbonetos. Já os óleos básicos sintéticos são obtidos a partir de reações químicas controladas que promovem uma ampla variedade de produtos. No caso dos óleos semissintéticos, há proporções variáveis de mistura de básicos minerais e sintéticos, com o objetivo de oferecer uma alternativa de qualidade a um custo mais acessível que o óleo sintético, cujo custo é o mais elevado dentre os três tipos. A escolha do óleo lubrificante ideal, seja ele mineral, sintético e semissintético, deve ser feita de acordo com as especificações contidas no manual da montadora.

• O QUE ACONTECE COM O ÓLEO QUEIMADO?
A Rede Gil valoriza uma atuação ecologicamente correta, com menores impactos para o meio ambiente. Por esse motivo, possui tanques para o armazenamento adequado do óleo queimado e realiza a separação das embalagens utilizadas, ambos coletados por empresas credenciadas por órgãos competentes e que realizam sua correta destinação.

•• TROCA DE FLUÍDO DE DIREÇÃO
• QUAL A FINALIDADE DO ÓLEO DE DIREÇÃO HIDRÁULICA?
Assim como acontece com os demais fluídos necessários para a manutenção do veículo, o óleo de direção hidráulica atua na lubrificação e redução do atrito entre as peças internas contribuindo, assim, para seu pleno funcionamento.

• QUAL O PRAZO DE TROCA DO ÓLEO DE DIREÇÃO?
Por se tratar de um sistema fechado sem exposição a fatores contaminantes como umidade e poeira, a durabilidade do óleo de câmbio acaba sendo muito superior que a do óleo de motor, mas não imune a vazamentos. Assim, a verificação do nível do reservatório em que é armazenado o fluído de direção deve fazer parte do check up de manutenção preventiva. Na dúvida quanto à necessidade de troca, siga sempre a orientação contida no manual do fabricante.

• O QUE ACONTECE SE EU NÃO TROCAR O FLUÍDO DE DIREÇÃO NO PRAZO?
Assim como acontece com os demais óleos, com o tempo, o fluído de direção perde a viscosidade podendo causar ruídos e desgaste acentuado nas engrenagens da caixa. Adiar a troca pode desgastar as peças com grandes prejuízos em caso de quebra. Assim, fique sempre atento ao prazo de troca do fluído de direção indicado no manual do seu veículo.

•• TROCA DE FLUÍDO DO DIFERENCIAL
• COMO SABER SE MEU CARRO PRECISA DE ÓLEO DE DIFERENCIAL?
O diferencial é um dispositivo mecânico indispensável em veículos de tração 4×2 e 4×4. O diferencial tem a função de transferir e distribuir uniformemente torque a dois semieixos que em princípio giram em sentidos opostos, possibilitando assim, a cada eixo, uma gama de velocidade e rotações diferentes. O diferencial é geralmente encontrado em SUVs, pick-ups, caminhões, ônibus e carros antigos.

• QUANDO DEVO TROCAR O ÓLEO DO DIFERENCIAL?
O período de troca do óleo do diferencial varia de acordo com o veículo e suas condições de uso sendo, em geral, a cada seis meses ou 20.000 km. Recomenda-se consultar sempre o manual do fabricante para ficar em dia com suas manutenções e utilizar o óleo com a viscosidade recomendada para o seu veículo.

• O QUE PODE ACONTECER SEU EU NÃO TROCAR O ÓLEO DE DIFERENCIAL?
A substituição do óleo para diferencial se faz necessária porque com o tempo ele perde a viscosidade podendo danificar engrenagens e peças como coroa e rolamento. Adiar a troca pode resultar em grandes prejuízos.

•• Troca de Fluído de Freio
• QUAL A FINALIDADE DO FLUÍDO DE FREIO?
Como parte dos itens de manutenção preventiva do veículo, o fluído de freio é um item extremamente importante para a segurança do motorista. Esse óleo é responsável por transmitir a pressão que faz acionar as pastilhas e sapatas/lonas contra os tambores e discos de freio, processo que garante a frenagem.

• QUANDO DEVO REALIZAR A TROCA DO FLUÍDO DE FREIO?
A troca do fluído de freio deve ser realizada dentro do prazo estipulado pela montadora, informação contida no manual do fabricante. Se nesse meio tempo o fluído baixar devido a perdas, uma luz deve aparecer no painel do veículo sendo, em geral, a mesma luz que surge quando o freio de mão é acionado.

• O FLUÍDO DE FREIO DIMINUI COM O TEMPO?
Ao contrário de outros fluídos, o fluído de freio não diminui com o uso, exceto em casos de vazamento. Se a perda for constatada, recomenda-se o reparo imediato do sistema e a substituição completa do fluído uma vez que o remanescente está sujeito à contaminação pela umidade natural do ar.

• O QUE PODE ACONTECER SE EU NÃO TROCAR O FLUÍDO DE FREIO?
Deixar de realizar o serviço de troca do fluído de freio implica na perda da eficácia do sistema de frenagem com risco de graves acidentes. Além disto, fluído de freio fora da validade pode comprometer componentes como roda, cilindro-mestre, freio a disco, dentre outros, por oxidação. Isto porque o fluído de freio é armazenado em um reservatório que fica exposto ao ar, sujeito à absorção da umidade natural do meio ambiente.

•• TROCA DE ÓLEO DE CÂMBIO
• QUAL A FINALIDADE DO ÓLEO DE CÂMBIO?
Assim como acontece com os demais fluídos necessários para a manutenção do veículo, o óleo de câmbio, também conhecido como óleo de transmissão ou óleo de caixa de marcha, contribui para lubrificar e reduzir o atrito entre as peças internas contribuindo, assim, para seu pleno funcionamento.

• QUANDO DEVO TROCAR O ÓLEO DE TRANSMISSÃO DO CÂMBIO MANUAL?
Do mesmo modo que o fluído de direção, por se tratar de um sistema fechado sem exposição a fatores contaminantes como umidade e poeira, a durabilidade do óleo de caixa de marcha acaba sendo muito superior que a do óleo de motor. Algumas marcas recomendam entre 30.000 a 40.000 km para os carros de câmbio manual, variando de acordo com a orientação contida no manual do fabricante.

• QUANDO DEVO TROCAR O ÓLEO DE TRANSMISSÃO DO CÂMBIO AUTOMÁTICO?
Algumas marcas recomendam a troca acima de 60.000 km ou 100.000 km, para carros de câmbio automático, prazo sujeito a variações de acordo com cada montadora. Essa informação pode ser encontrada no manual do fabricante. Nesse meio tempo, é importante estar atento ao surgimento de ruídos e vazamentos no engate das marchas, o que pode indicar a necessidade de completar o nível.

• O QUE PODE ACONTECER SE EU PERDER O PRAZO DE TROCA DO ÓLEO DE CÂMBIO?
A substituição do óleo de caixa de marcha se faz necessária porque com o tempo ele perde a viscosidade podendo causar ruídos e desgaste acentuado nas engrenagens. Adiar a troca pode desgastar as peças da caixa de transmissão, com grandes prejuízos em caso de quebra.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *